© 2019  FERRAZ LYNCE

FLY 02_04_17

Cofinanciado por:
DEVEMOS ABRIGAR-NOS QUANDO ESTÁ FRIO LÁ FORA?

A resposta é sim, se nos sentirmos desconfortáveis, se a exposição ao frio for durante um período prolongado que leve a um risco  de hipotermia, mas não precisamos de nos preocupar com a imunidade. (6)

O EXERCÍCIO É BOM OU MAU PARA A IMUNIDADE?

O exercício físico efetuado com regularidade melhora a saúde cardiovascular, baixa a pressão arterial, reduz o peso e protege contra uma série de doenças, mas será que ajuda a manter o sistema imunitário saudável?

 

O exercício pode contribuir para uma vida saudável e consequentemente para um sistema imunitário saudável. Além disso, pode ter uma contribuição mais direta ao melhorar a circulação, o que permite que as células e as demais substâncias do sistema imunitário se difundam através do organismo e possam exercer melhor a sua ação.

Muito embora ainda não tenha sido estabelecida uma relação benéfica direta, é razoável considerar que fazer exercício com regularidade de forma moderada é mais uma faceta de um estilo de vida saudável, um meio potencialmente importante para manter o sistema imunitário saudável assim como o resto do corpo. (6)

IDADE E IMUNIDADE

O envelhecimento conduz de algum modo a uma redução da capacidade da resposta imunitária, o que por seu turno contribui para mais infeções e mais doenças inflamatórias.

Os idosos têm um risco muito maior de contrair doenças infeciosas. As infeções respiratórias, a gripe e em particular a pneumonia, são as principais causas de morte em pessoas com mais de 65 anos de idade em todo o mundo. Ninguém sabe, com certeza, porque é que isto acontece, mas alguns especialistas observam que este aumento do risco se correlaciona com uma diminuição das células T, possivelmente devida a uma atrofia do timo com a idade. Também a medula óssea se torna menos eficiente a produzir células estaminais que, por sua vez, originam as células do sistema imunitário.

Outros investigadores estudaram a relação entre nutrição e imunidade no idoso. Uma forma de malnutrição que surpreendentemente é muito comum, mesmo nos países desenvolvidos, é conhecida como “a malnutrição de micronutrientes”.  Nesta situação uma pessoa tem défice de algumas vitaminas e de microelementos essenciais que são obtidos pela alimentação. Os idosos tendem a comer em menor quantidade e a fazer uma dieta menos variada o que leva a este défice de vitaminas e de microelementos. Uma questão importante é saber se os suplementos dietéticos podem ajudar os idosos a manter um sistema imunitário saudável. (6)

 

6 - adaptado de Harvard Health Publications/Harvard Medical School